quinta-feira, 17 de maio de 2007

Cartas de amor




Cartas de amor são ridículas?


Oi amor. Há quanto tempo não escrevo uma carta de amor, pra falar a verdade nem me lembro de um dia tê-la escrito. Era necessário um amor, então busquei entre estrelas, percorri caminhos, percorri almas até encontrá-lo. Porque finalmente eu te encontrei. Era noite?Creio que era madrugada, estava eu sozinha numa sala pensando em como ser percebida por você. E lá estava você, todo lindo, brilhava como um sol.Imaginei-o alto garboso como um príncipe dos sonhos de uma princesa.Você veio de mansinho, sem cavalo branco até onde eu estava e entre poemas e músicas eu me apaixonei.Era o meu poeta preferido, quantos poemas trocamos nestes longos anos de amor.Tínhamos máscaras?Não sei. Mas tínhamos fantasias, que nos levava onde sempre imaginávamos, nas escadas, nos rios, na janela. Lembra da janela que tantas vezes víamos a lua? Acredito que esta janela se fechou, o tempo enferrujou os trincos e a janela emperrou, nunca mais abriu. Hoje nada mais restou do amor, às vezes fazemos retrocessos em busca de algo perdido. Sabe queria tanto estar com você na janela, vendo a lua, ouvindo as músicas e lendo os poemas. Mas hoje você olha pra mim e não consegue mais conversar comigo. Nos perdemos no jogo da conquista?Sei que sente falta dos meus beijos e abraços, que quando esta nos meus braços você me ama, mas sei também que agora é só pele. Perdi-te no meu caminho?




Myrian Benatti


Obs.Dizem que cartas de amor são ridículas, mas como Maria Betania diz ridículo é quem nunca escreveu uma carta de amor.

Nenhum comentário:

Bem vindo!!!

Seja sempre bem vindo
Quando ler meus textos ou dos meus amigos, comente.Suas palavras sempre serão bem vindas.Se não souber o que falar deixe um abraço, mas não faça comentários maldosos, estes vc guarde.Entre e fique a vontade, vc faz parte da família, dos amigos

Alma Encantada

Alma Encantada
sempre sorrindo!!!
Loading...

Marcadores

Quem sou eu

Minha foto
Sou poesia,sou procura, sou ilusão.

quem sou eu...

Desde mocinha eu escrevia poesias, cada vez que eu terminava uma paixão, eu fazia um poema, cada tristeza, alegria,cada olhar maroto.Acho que porisso me tornei uma poetiza, pq sempre estive apaixonada.As lágrimas que eu derramava se transformavam em sementes, em letras, em textos, em poemas.Ainda hoje faço isso, qdo estou triste com alguém eu escrevo uma poesia, cada poesia minha tem uma história.É como a semente que transformou em árvore.(MyrianBenatti)