segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Poema


Na minha rua adormeci, em águas cristalinas eu amei.

Amei você.

Amei virtualmente.

Amei incondicionalmente.

E amores também acabam como fim de outono.

Existem anjos, também anjos da guarda, almas que habitei, auras iluminada.

Falei ao vento, voei com as asas libertas, tive ausência de sonhos, andei nos caminhos do amor, observei muitos bancos vazios, vi uma estrela caindo, busquei colo, tive medo, presenciei muitos corações duros.

Na dança com o corpo em êxtase beijei, despertei, fiz de conta, fantasiei minha alma, me iludi, desatei amarras, equilibrei, fechei os olhos, despedi.

Tentei ser aceita, escutei, parti, transformei-me em personagens, fragmentei, precisei com urgência de abraço, de razão, de paixão.

Tentei alçar vôos, fui ao telhado, na varanda, na janela, pelas tardes, pelas manhãs, nas ruas isoladas, nas portas entreabertas, no portal, nos porquês.

Procurei um amigo, poetizei minha vida, fui palhaço, pássaro ferido, andei nas asas de um vampiro, não tive saída.

Quisera não ter tido saudades, nem cantado o silencio, a depressão, nem ficado na penumbra.

Onde você estava que eu não te vi?

Nas ondas?

Nos bares?

No vento?

Nas estradas sinuosas?

Como mendigo eu procurei liberdade, no meu porto, no meu coração, no meu amor.

mulher eu arranquei máscaras, enxuguei lágrimas, fui sedutora, apaguei o fogo do proibido.

Tive dores, sonhos, vício, solidão.
Será que foi um sonho?


Myrian Benatti

Um comentário:

Sandra LC Perazzo disse...

Aplaudindo muito você Myrian, belissimo poema-desabafo!
Beijos carinhosos
Sandra LC Perazzo

Bem vindo!!!

Seja sempre bem vindo
Quando ler meus textos ou dos meus amigos, comente.Suas palavras sempre serão bem vindas.Se não souber o que falar deixe um abraço, mas não faça comentários maldosos, estes vc guarde.Entre e fique a vontade, vc faz parte da família, dos amigos

Alma Encantada

Alma Encantada
sempre sorrindo!!!
Loading...

Marcadores

Quem sou eu

Minha foto
Sou poesia,sou procura, sou ilusão.

quem sou eu...

Desde mocinha eu escrevia poesias, cada vez que eu terminava uma paixão, eu fazia um poema, cada tristeza, alegria,cada olhar maroto.Acho que porisso me tornei uma poetiza, pq sempre estive apaixonada.As lágrimas que eu derramava se transformavam em sementes, em letras, em textos, em poemas.Ainda hoje faço isso, qdo estou triste com alguém eu escrevo uma poesia, cada poesia minha tem uma história.É como a semente que transformou em árvore.(MyrianBenatti)