quarta-feira, 10 de junho de 2009

Quantas vezes precisamos dizer adeus?



Quantas vezes precisamos dizer adeus?
Uma?
Todos os dias?
Mil vezes?
Até não sentirmos mais a presença?
Nunca?
Quantas vezes precisamos dizer adeus?
Meu coração parou enquanto eu pela centésima vez eu escrevia aquele adeus, meu corpo todo tremeu, sofreu pensando na possibilidade de nunca mais falar com você, de nunca mais tocar você.
Falar como você deixou minha voz embargada.
Tudo muda em mim,
Meu corpo fala no momento que estou em sua presença, tudo muda em minha volta é como se eu dançasse pra você, meus olhos sorriem, minha boca se abre à espera da sua boca, minhas mãos querem tocar o seu corpo.
Mas você foi embora.
Não é porque terminou que vou me sentir infeliz, porque você nunca me fez sentir assim, todo o dia que estive ao seu lado desde a minha voz até os movimentos do meu corpo, tudo dançou em favor de sua voz.
Ao seu lado eu fui totalmente feliz.
Fui.
Você teve necessidade de ir embora, soltou de meus braços à procura de outros braços.
Seguiu um caminho diferente, um caminho que lhe trouxe mais prazeres, mais felicidades, eu que não soube te fazer feliz.
Você teve necessidade de mais procuras, mais desejos.
Você tem mais fome.
Mas mesmo assim eu lhe desejo sucesso e felicidades,
Dizer que não sinto sua falta, que não estou triste, que seu nome não me sai da cabeça, seria mentira.
Mas mesmo assim lhe desejo que seja feliz, sem mágoas, sem dores.
Tem um pensamento que diz assim:
Uma das grandes enfermidades é não ser ninguém para ninguém (Tereza de Calcutá)
Você foi alguém pra mim.


Adeus...




Myrian Benatti

Nenhum comentário:

Bem vindo!!!

Seja sempre bem vindo
Quando ler meus textos ou dos meus amigos, comente.Suas palavras sempre serão bem vindas.Se não souber o que falar deixe um abraço, mas não faça comentários maldosos, estes vc guarde.Entre e fique a vontade, vc faz parte da família, dos amigos

Alma Encantada

Alma Encantada
sempre sorrindo!!!
Loading...

Marcadores

Quem sou eu

Minha foto
Sou poesia,sou procura, sou ilusão.

quem sou eu...

Desde mocinha eu escrevia poesias, cada vez que eu terminava uma paixão, eu fazia um poema, cada tristeza, alegria,cada olhar maroto.Acho que porisso me tornei uma poetiza, pq sempre estive apaixonada.As lágrimas que eu derramava se transformavam em sementes, em letras, em textos, em poemas.Ainda hoje faço isso, qdo estou triste com alguém eu escrevo uma poesia, cada poesia minha tem uma história.É como a semente que transformou em árvore.(MyrianBenatti)